Saiba como as habilidades socioemocionais diminuem o bullying

Tempo de leitura: 4 minutos

Saiba como as habilidades socioemocionais diminuem o bullying

Fonte.: Escola da Inteligência

O bullying é uma discussão importante para o ambiente escolar, já que essa violência pode traumatizar e prejudicar o desenvolvimento dos estudantes — e, por isso, é bom contar com estratégias para combatê-lo. Nesse sentido, é importante ter o conhecimento de que algumas habilidades socioemocionais diminuem o bullying, podendo ser praticadas diariamente na sala de aula.

Essas habilidades são adquiridas a partir do desenvolvimento da inteligência emocional. São aptidões que trabalham, no estudante, competências relacionadas tanto ao seu íntimo (intrapessoal) quanto à visão da sociedade em que está (interpessoal). Por isso, essas competências estão pautadas em pilares éticos, sociais e emocionais.

Para entender como as habilidades socioemocionais podem ajudar na diminuição do bullying e descobrir algumas maneiras de desenvolvê-las nos alunos da sua escola, continue a leitura!

Os pilares das habilidades socioemocionais

As habilidades socioemocionais são exigidas em inúmeras situações. Elas estão relacionadas a uma série de competências que os seres humanos utilizam para saber lidar melhor com as suas emoções, gerenciar a meta de suas vidas e relacionar-se com outras pessoas.

Continue lendo e confira os três pilares que correlacionam essas habilidades!

Emocionais

As competências emocionais estão relacionadas com a forma de reagir às diversas situações a que somos expostos. Algumas habilidades importantes podem ser desenvolvidas nesse sentido como, por exemplo, a capacidade de aprender o valor na vitória e na derrota, a autoconfiança, a responsabilidade, a autoavaliação etc.

Sociais

As habilidades sociais dizem respeito à forma pela qual interagimos com o mundo e com as pessoas ao nosso redor. Nessa perspectiva, podem ser desenvolvidas a cooperação, a colaboração, a comunicação, a resolução de conflitos, entre outras.

Éticos

O pilar ético está relacionado ao modo de agir, considerando o bem comum. O respeito, a tolerância, a empatia, a aceitação das diferenças são alguns exemplos desses valores.

As habilidades socioemocionais no combate ao bullying

O bullying é uma prática violenta que prejudica ambas as partes: o agressor e a vítima. Isso porque ele pode afastar os estudantes do convívio social, aumentando o número de faltas e, dependendo do cenário, promover a evasão escolar.

Levando isso em consideração, é importante ressaltar que essa violência está relacionada a algum fator emotivo. O aluno que pratica bullying, em muitos casos, também esconde necessidades emocionais, precisando ser averiguada a situação.

Nesse contexto, as habilidades socioemocionais trabalham o fortalecimento do autoconhecimento e da compreensão social. Essas capacidades propõem aos estudantes que eles se desvistam de seus preconceitos e compartilhem a solidariedade e o respeito. Entretanto, isso só é possível quando o aluno está resolvido consigo mesmo.

Logo, trabalhar ambas as pontas — pessoal e social — é uma maneira de garantir que a prática de bullying seja diminuída na escola.

A escola e o desenvolvimento das habilidades socioemocionais

A fase da infância é um período propício para o desenvolvimento de habilidades que promovem o autoconhecimento e a empatia. Entretanto, é possível incentivá-las durante todo o processo de aprendizagem. Promover a solidariedade e o respeito ao outro também são caminhos que fortalecem o grupo e coíbem o bullying. Para tanto, a escola precisa estar disposta a propor atividades que rompam com cenários impessoais e concedam protagonismo e autonomia para cada estudante.

Capacitação dos professores

A preocupação com o desenvolvimento das habilidades socioemocionais já faz parte da Base Nacional Curricular Comum (BNCC). O documento prevê o aprendizado de 10 competências gerais na educação básica — e o educador é fundamental para esse trabalho.

A partir da proximidade com os alunos, é importante capacitar os professores com novas maneiras de abordar o conteúdo, a fim de garantir o protagonismo estudantil.

Interação com os familiares

O papel dos familiares também é fundamental, já que envolvê-los nas atividades escolares garante a interação entre professores, estudantes e família. A falta de envolvimento familiar pode prejudicar o desenvolvimento estudantil, deixando o aluno desmotivado e desinteressado.

Como você pôde ver, as habilidades socioemocionais diminuem o bullying, ao propor aos alunos uma forma diferente de pensar sobre si e sobre os seus colegas. Essa abordagem traz oportunidades para fortalecer o elo entre eles, criando um cenário respeitoso e verdadeiramente acolhedor.

Deixe seu comentário!

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.